Na HW-1

Roteiro do Léo – De São Francisco a Los Angeles pela Highway 1 – parte II

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

A parte II do roteiro do Léo, cobre o trajeto São Francisco a Los Angeles pela Highway 1, a famosa estrada que passa pela costa. Acredito que esse trecho da viagem depende muito dos interesses de cada pessoa.

Quantos dias são necessários? Você é a única pessoa que pode decidir isso, baseado nos seus gostos pessoais. O Léo é surfista, e eu adorei como ele fez a lição de casa direitinho, descobrindo até os melhores pontos de surf na estrada. O fato é que dá pra  fazer o trajeto em 1 dia, só pra dizer que passou por lá, e também dá pra ficar 1 semana na estrada. Você decide.

Atenção pra outro post recheado de informações novas. Thanks, Léo!

Roteiro de São Francisco a Los Angeles pela Highway 1

HIGHWAY 01

Escolhemos percorrer ela em 03 dias, em minha opinião o mínimo possível pra aproveitar decentemente o tanto que ela oferece. Saimos cedo, por que eu pego onda de bodyboard e a previsão do surfline.com dizia que Ocean Beach iria quebrar com 5 a 6 pés naquele dia com vento terral. Postarei depois uma lista com a localização de todos os picos de surf de São Francisco a Los Angeles pela Highway 1.

Baker Beach ou Marshall Beach

Antes de sair de SF, último roteiro. Passamos pra conhecer o lado da cidade que fica entre a Golden Gate e o oceano pacífico. Primeira parada: Baker Beach ou Marshall Beach. A Fernanda queria bater uma foto idêntica a da capa da Viagem & Turismo que saiu exatamente no mês anterior a nossa trip. Valeu a pena, a visão da ponte é diferenciada e as fotos ficaram mesmo bonitas.

De lá, passada rápida na Legion of Honor só pra conhecer e depois a Cliff House, restaurante que era uma casa antiga pendurada num penhasco bem no início da parte litorânea, na Ocean Beach, onde rolou em 2011 uma etapa do WCT (circuito mundial de surf). Caída de 01:30 h na água mais gelada que você possa imaginar, tipo aquela do gelo quando derrete no freezer e você fica cavucando pra achar uma cerveja… cabeça feita e de lá partimos pra Half Moon Bay.

Half Moon Bay

Half Moon Bay é famosa por abrigar Mavericks, uma das maiores ondas do planeta, cenário principal do filme “Tudo por um Sonho” (Chasing Mavericks), com o Gerard Butler. Pra chegar lá procure no GPS o Pillar Point Air Force Station – um centro militar de observação no alto da montanha de frente pro mar – estacione antes de subir a ladeira pra chegar nessa estação (é proibido, então você vai ver logo o estacionamento à esquerda), depois é só seguir caminhando por 5 minutos até o mar, bem no início do paredão que faz o Pillar Point Harbor.

Pronto, você vai avistar duas pedras grandes bem dentro do mar. É lá que fica a famosa onda. Pra ver melhor suba um pequeno morrinho árido bem na frente da praia (subida de menos de um minuto, mas melhor a vista do alto).

Além de Mavericks, em Half Moon Bay vale a pena ver o Pillar Point Harbor (a marina da cidade), comer no restaurante Creekside Smokehouse (280 Avenue Alhambra, tel 1 650-712-8862) – pratos de salmão defumado sensacionais, e dar um rolé pelo centro da cidade.

Saindo de Half Moon Bay, 7,5 milhas depois, vale muito a pena passar pelo hotel The Ritz-Carlton. O hotel é sensacional, é como um castelo no alto de um penhasco de frente pro mar em um campo de golf e condomínio de luxo compondo a paisagem. Não precisa dizer mais nada… Se tiver 500 dólares pra gastar em uma diária fique por lá, senão faça a visita que eles deixam.

Santa Cruz

De lá seguimos na direção de Santa Cruz, a primeira cidade maior na Highway 1. No caminho paramos no Pigeon Point Lighthouse, farol interessante de ver e fotografar, a 19,6 milhas do Ritz-Carlton. 12 milhas antes de Santa Cruz demos uma paradinha em Waddel Creek, o point do kitesurf na região, pra ver se rolava um aluguel ou se alguém emprestava, mas nada feito. Antes, passando por Manresa Beach, vem a área conhecida como “The Fertile Crescent”, uma zona rural perto do mar, interessante ver várias dezenas de lavradores com seus carros estacionados na beira da estrada fazendo a colheita… dá pra comprar morangos e abóboras (americano adora abóbora e prepara várias coisas saborosas com elas) em caminhões na beira da estrada.

Santa Cruz é um dos berços do surf e do skate nos Estados Unidos. A cidade respira esses dois esportes, da criança ao mais idoso. Demos a sorte de estar rolando o O´Neill Cold Water Classic, famoso campeonato em Steamer Lane, onda mais famosa da cidade, também palco do Circuito Mundial do WCT. Em Santa Cruz, as melhores coisas para se visitar além de Steamer Lane e o Surfing Museum – os dois no mesmo local, são o Santa Cruz Beach Boardwalk – calçadão com um parque de diversões em frente a praia, dar um rolé na Pacific Avenue. Rua mais pra dentro, cheia de lojas, restaurantes e um shopping, ir no Santa Cruz Skate Park, na Mission Santa Cruz – missão espanhola franciscana, arquitetura bem bacana, histórico, e finalmente ir até Pleasure Point, bairro a beira-mar bem agradável no melhor lifestyle californiano, muitas lojinhas e restaurantes, e bom pra pegar onda, casa do Jack O´Neil, fundador da O´Neill, uma das marcas mais famosas do mundo do surf. No caminho você passa por bairros bem bacanas e marinas charmosas por todos os lados.

Monterey e Carmel

De Santa Cruz seguimos para Monterey e Carmel, local da nossa primeira noite de descanso. Na Highway 1 optamos por dormir nos famosos motéis americanos. Não tem nada a ver com a conotação que o brasileiro dá, o conceito é: quarto confortável com ótimo preço, parando o seu carro bem na porta e internet wi-fi pra postar suas fotos do dia e ligar do Skype pro Brasil. Funciona perfeitamente. Ficamos em Monterey (Carmel é bem mais caro e fica a 7 km de distância), no Monterey Surf Inn (1200 Munras Ave, tel 1 831-372-5821 • montereysurfinn.com). Recomendo demais, hospedagem bem decente pagando acho que 60 dólares. Existem várias redes de motéis nos EUA, como o Motel 6, Super 8, Comfort Inn, Ramada, Mariposa Inn… todas atendem muito bem se você procura custo x benefício e só vai passar uma noite. Totalmente seguro também.

Cheguamos em Monterey/Carmel antes do pôr-do-sol, e assistimos ele em Pebble Beach. A praia fica no condomínio fechado da 17 Mile Drive (em que se paga para entrar), mas antes do fim de tarde eles liberam a passagem sem custo por qualquer uma das duas guaritas (entrando por Monterey ou Carmel). Acabamos não conhecemos muito das duas cidades, só jantamos em Carmel no La Bicyclette (Dolores Street com Seventh Avenue; 831-622-9899), lembra um bistrô rústico de aldeia, boa comida e preço justo. Uns amigos recomendaram também a La Cantinetta Luca (Dolores Street, entre a Ocean e Seventh Avenues; 831-625-6500, mesma faixa de preço). Se escolher jantar em Monterey vá no Monterey Fish House (2114 Del Monte Avenue, bom pra comer ostras e mariscos).

Big Sur

O dia seguinte foi o dia da viagem com vistas de tirar o fôlego. A tão famosa região de Big Sur. Montanhas e penhascos terminando no mar e você lá, numa estrada beirando tudo isso, paisagens estonteantes a cada curva. É o dia de parar em vários dos mirantes ou mesmo no acostamento na beira da estrada e bater as foto mais bonitas da sua trip.

17 Mile Drive

Começamos o dia percorrendo a 17 Mile Drive. De Monterey é só seguir direto pelo Ocean View Boulevard e depois a Sunset Drive, ruas que vão beirando o litoral da cidade, que você vai chegar na portaria de entrada. Pague seus 8 dólares e depois é só seguir a linha vermelha pintada nas ruas que elas te levam aos principais pontos turísticos, que basicamente são lugares a beira mar com vistas lindas (principalmente o Lone Cypress), mansões e campos de golfe a beira-mar.

Saindo por Carmel poucos Kms depois começa o Big Sur. A primeira parada foi no Rocky Point Restaurant (36700 California 1 – tel 831-624-2933 – rockypointrestaurant.com). O visual do restaurante é sensacional, debruçado sobre o mar. Como ainda era cedo, não ficamos para o almoço. Em seguida passamos pela Bixby Bridge e pela Rocky Creek Bridge, pontes famosas que você com certeza já viu em alguma foto. Depois, fomos no Big Sur Rivermouth, praia que fica no Andrew Molera State Park, aquele visual de rio desaguando no mar e um morro bem grande, na beira d´água. Peguei boas ondas e curti uma bela paisagem. Lá tb tem o Big Sur Campground and Cabins (bigsurcamp.com), boa estrutura para os aventureiros de plantão acamparem no parque, ou, se você não é adepto do estilo roots, alugar cabanas com lareira e bom conforto.

Pfiffer Beach

7,7 km após o Andrew Molera State Park fica a entrada pra Pfiffer Beach. Talvez seja a praia mais famosa do Big Sur. Linda, ela é pequena, também com aquele visual de parque estadual, montanha e mar, e o mais interessante, tem uma formação rochosa, um pedrão gigante dentro do mar com um buraco quadrado no meio, parece esculpido a mão, mas foi a mão da natureza mesmo que fez aquela paisagem bonita demais. A entrada é um pouco escondida, e não tem placa. Tente no GPS ou no Google Maps escrever “Scycamore Canyon Road”. À direita, se você vem de Carmel, tem uma placa “Caution, Narrow Road” e é aí que você vira. Essa placa é meio entocada, então preste atenção, você fará uma curva fechada à direita, saindo da estrada. Poucos minutos depois da entrada seguindo pela Highway 1, se você vir um posto de gasolina daqueles que tem só a bomba sem teto ou cobertura volte, por que passou da entrada.

Post Ranch Inn

Não muito longe de Pfiffer Beach fica o Post Ranch Inn. Que hotel show de bola, sofisticadaço, a diária é uma fortuna, público top, muitas vezes passando lua-de-mel ou mesmo casando lá. Fica no alto de uma montanha debruçado sobre o mar, apartamentos individuais no alto do penhasco, em que você abre a janela e não vê nada que não seja oceano pacífico até perder de vista.

Lá tem o restaurante Sierra Madre, e foi onde almoçamos. Preço muito razoável pelo que oferece, menu on course (menu degustação) a 45 dólares por pessoa, ambiente, vista e comida diferenciados. Se quiser impressionar a namorada/namorado/marido/esposa não tem erro.

Julia Pfeiffer Burns State Park

Seguindo viagem passamos no Julia Pfeiffer Burns State Park. Você estaciona, pega a passagem sob a estrada e dá uma caminhada de uns 15 minutos que te leva na McWay Falls, simplesmente uma cachoeira que despeja suas águas no mar. Que visual.

Por último paramos pra tomar um café mais na frente, na pousada Lucia Lodge, mais uma dessas com uma bela vista do mar. Tem wi-fi a 2 dólares, e como a ansiedade de jogar no Instagram os registros do dia era grande, a pausa valeu mais ainda.

Em seguida veio o único momento ruim da viagem. Tudo muito bom, pôr-do-sol na beira da estrada sem nenhuma nuvem, sol tocando o mar, tudo incrível, clima de romance, só nós dois e mais ninguém por perto, fotos e mais fotos com o celular da namorada, com a nossa máquina fotográfica, com o meu telefone… era aparelho demais pra lembrar de guardar.

Resultado: a Fernanda deixou meu Iphone novinho, que eu tinha trocado há 3 dias na Apple Store de SF em cima do capô do carro, seguimos viagem e só fomos dar falta uns 15 minutos depois, quando ele já tinha voado há muito tempo. Rapaz, doeu na mente essa. Silêncio sepulcral por uma hora e meia e algumas lágrimas de arrependimento dela e depois bola pra frente por que a vida é muito mais que um aparelhozinho sofisticado top de linha… rs.

O final do Big Sur é o único trecho mais sinuoso da estrada, então vá devagar pra sua senhora não enjoar muito. No final do Big Sur em geral o pessoal ou vai pra San Luis Obispo pernoitar ou, se ainda for dia, vai visitar o Hearste Castle, mansão de um milionário excêntrico que sei lá, há uns 100 anos atrás construiu um castelo nababesco importando coisas de Roma, do Egito… dizem que vale a visita, mas eu mesmo não tive tempo de conferir.

Cambria

Ao invés de ir pra San Luis Obispo escolhi pernoitar em Cambria, uma cidadezinha pequenina entre a estrada e o mar, que em geral o pessoal nem passa, mas que acabou sendo uma das escolhas mais acertadas de toda a viagem. Nela comi o King Crab mais gostoso de toda a minha vida. Para quem escreveu essa dica em algum blog de viagem, o meu muito obrigado!

O restaurante chama-se Sea Chestnut (6216 Moonstone Beach Dr), na frente do mar, estilo rústico, de madeira, não aceita cartão, só eu e a Nanda de turistas. Lá tudo do mar tem muita qualidade e é fresco, lagosta, o sea bass, as ostras. Mas o caranguejo do Alaska foi “a experiência gastronômica” da viagem. Eles te dão uma tesoura e você corta a casca, que parece de plástico, mais mole que a dos caranguejos brazucas, tira um bifão da carne que enche a boca, passa um molho de manteiga que eles dão e depois ajoelha e agradece.

Em Cambria você pode se hospedar no Mariner´s Inn, do lado do Sea Chest, 196 Reais no Booking, no Sand Pebbles Inn, R$ 379 no Booking, mais estiloso, ao lado do Mariner´s e do Sea Chest, mesma rua na frente do mar, ou o Moonstone Landing, R$ 252 no Expedia – tudo quase lado a lado. Gastando um pouco menos (U$ 50 a 60) você se hospeda no Motel 6 San Simeon, a 5,8 km do restaurante. Uma dica: vá jantar até umas 8 da noite, por que americano janta cedo e às 9 da noite parece madrugada já a muito tempo, tudo fecha cedão por lá.

Morro Bay

No último dia da Highway 1 seguimos para Morro Bay, cidade legal na beira do mar, pra eu fazer a surf session do dia e depois Pismo Beach, outra cidade charmosa no mar da Califórnia. Segue agora uma dica preciosa: O Premium Outlet de Pismo Beach. Nunca dei tanta sorte em compra de outlet na minha vida. Brasileiro tem obsessão por aquele Sawgrass lotado de gente barulhenta lá em Miami, parece um formigueiro, gigante, e você não entra nem em 20% das lojas.

O Premium Outlet de Pismo Beach estava lá, do tamanho certo, bem menor que os outlets das maiores cidades, mas com TODAS as lojas que brasileiro gosta, vazias, com 2 ou 3 pessoas comprando, nada bagunçado nem tirado do lugar, tudo no tamanho, cor e quantidade que você quisesse, atendente te tratando que nem um rei, no mesmo preço de qualquer outro outlet, e você ainda para o carro na porta da loja que quiser. Imprima os cupons de desconto no site http://www.premiumoutlets.com/portuguese e vai lá liberar as endorfinas que só boas compras, chocolate ou outras cositas más podem proporcionar. Fiz a festa na Calvin Klein, Tommy, Hugo Boss, Nike, Polo Rauph Lauren, Vitamin World (pros produtos da malhação, mais barato que a GNC) e por aí vai.

Solvang

De Pismo Beach demos uma rápida passada por Solvang, cidadezinha dinamarquesa no meio da Califórnia, bacana conhecer, passar 1 hora e meia por lá. De lá passamos pelo Vale de Santa Ynes, versão menor do Napa Valley. Dicas: Kalyra Winery, vinícola que serviu de locação para o filme Sideways, vinícola Demetria, com uma vista linda. De lá seguimos para Santa Barbara, nossa última parada na Highway 1. Surfzinho de fim de tarde em uma das ondas mais famosas da Califórnia, Rincón, check in no hotel El Encanto – por que a gente merece o melhor de vez em quando… e basicamente foi o que conhecemos da cidade. Fica pra próxima.

Santa Barbara

Mas minha dica em Santa Barbara é especial: vá jantar no terraço do restaurante do hotel El Encanto (800 Alvarado Place – tels 1-805-845-5800 ou 1-800-393-5315). Sensacional, refinado, bela vista da cidade, pegada romântica de varanda com céu estrelado, vinhos do vale de Santa Inês bons demais e frutos do mar feitos por um chef que entente demais da ciência culinária.

Dicas que pesquisei e não pude aproveitar em SB: a principal rua, State Street, é um shopping a céu aberto, com restaurantes e lojas, como a Macy´s. Ela sai bem em frente ao Stearn’s Wharf (píer) de SB. East Beach, uma das principais praias, fica próximo ao centro. A Courthouse Tower, prédio do tribunal da cidade de Santa Barbara construído em 1929 já é bonito por si só, e tem uma vista panorâmica da cidade linda (1100 Anacapa Street). Camino al mar (1000 Steps Beach) – muitos dizem que a praia é uma das mais bonitas de SB, é uma das mais privadas e tranquilas. Santa Barbara Mission (2201 Laguna Street) – dizem que é uma das missões franciscanas espanholas mais bonitas da Califa.

Restaurantes: Pascucci (729 State Street, no Paseo Nuevo shopping, só que virado para a rua), Mexicano La Super Rica Taqueria – a Julia Child, famosa chef do filme July & Julia, disse uma vez que amava e o lugar e então ele virou sucesso de público e renda. No dia seguinte, finalmente Los Angeles.”

103
Deixe um comentário

avatar
  Assinar  
o mais novo mais antigo
Notificar de
christophe
Visitante
christophe

Ok agradeço ao blog, ocorre que já vou fazer todo percurso pela 1 sentido SF – Carmel e após seguir
para Stateline/Nevada então faria 680/80 e 50 é um roteiro melhor.?

agradeço

CHRISTOPHE
Visitante
CHRISTOPHE

Olá, estarei fazendo a rota entre Monterey e South Lake Tahoe entre os dias 22 e 23 de dezembro próximo, desejo informações acerca da rodovia.

O percurso mais apropriado em termos de atrativos aliado à segurança seria trafegar pela I – 5N ou I – 680N em direção a cidade de sacramento?

Agradeço

Leonardo Coutinho
Visitante
Leonardo Coutinho

Olá Marília! Dá pra fazer isso tudo que vc quer sim, mas com criança o foco tem que ser mais a parte entre LA e San Diego. Pela I-5 são umas 6h de LA a San Francisco. Lá tem atrações infantis tb, dá uma pesquisada nos vários posts da Maryanne. De SF a San Diego pernoitando uma noite só? Nem pensar! Vc não aproveitará nada da estrada, e serão dias super corridos. Você tem muita flexibilidade de dias, entãzo pode pensar em passar 4 ou 5 dias em casa lugar. Minha sugestão: – 1° ao 4° dia – Los Angeles.… Ler Mais »

Leonardo Coutinho
Visitante
Leonardo Coutinho

Fala André! Sugestão:
31/jan – chegada em SF
1/fev – SF
2/fev – SF
3/fev – SF
4/fev – Napa Valley bate-volta de SF (1 hora e 15 de SF, tranquilo)
5/fev – Highway 01 até Carmel / Monterey
6/fev – Big Sur (dormindo em San Luis Obispo)
7/fev – volta pra SF (3 horas e meia de carro).
Em San Francisco, precisando de alguma coisa, quem manda lá é a Maryanne!
Abs

Andre
Visitante
Andre

Leo, estou com viagem marcada chegando em SF dia 31/01 e retorno dia 7/02 quero conhecer a big sur, sfo e napa valley, mas nao sei como dividir a viagem e nem quantos dias ficar em cada um.
obrigado

Marilia
Visitante
Marilia

Oi Léo, parabéns! Adorei seu blog e a sua dedicação em responder todos os comments!! Irei pra califa em janeiro de 2016, passarei 20 dias. Já vi tanta coisa interessante que acho q são poucos dias. Comprei passagem chegando e saindo de los angeles. Queria fazer los angeles – san francisco pela i5, depois pegar a big sur para san Diego. Seria muita loucura fazer apenas um pernoite nesse trecho da big sur? Vc recomenda quantos dias? Ah, vou levar uma criança de 2 anos… Alguma dica?

Sergio Barreto
Visitante
Sergio Barreto

Boa tarde, Estarei fazendo San Francisco/LA pela H-1 e fiz o seguinte roteiro: -San Francisco 13 a 17 -San Francisco/Monterey-Carmel 17 a 18 -Monterey/Big Sur/San Luis Obispo 19 Tenho dúvidas nesse trecho pois como dizem que a Big Sur é de tirar o fôlego, não gostaria de pegar estrada à noite pois daremos faremos paradas em: Nepenthe, Rock Point, Bixby Bridge, Rocky Creek Bridge, elefantes marinhos em San Simeon e mais o que valer uma parada. Parar em San Simeon ou em San Luis Obispo? Obispo não é muito chão? Ainda passaremos por Santa Barbara, Malibu, Venice e, por fim,… Ler Mais »

Leonardo Coutinho
Visitante
Leonardo Coutinho

E aí Melina. Show a sua viagem. Vamos por partes. Eu acho que em 23 dias você deveria conhecer muito mais coisas que “só” LA e SF. Nos arredores de SF é super tranquilo ir pro Napa Valley (de carro, ou tem sempre excelente opção do apoio da Maryanne), e Salsalito vc pode ir de bike mesmo atravessando a Golden Gate, muito bom. Sobre pegar onda, veja aqui no site um post que eu fiz, o “onde pegar onda na Califórnia”. Tá bem completo. E eu sou bbder também, pode ler e ir pros picos sem errada. Quanto a segurança,… Ler Mais »

Melina
Visitante
Melina

Ola Leo tudo bem? Adorei suas dicas!!!!! To aqui ansiosa pela minha vez!! Estou embarcando pra Califa em menos de uma semana. Ficarei 23 dias contando ida e volta. To aqui pensando na melhor rota…sera q pode me dar um help?? Ficarei em SF de 19 a 24/08. Depois pego outro voo SF – LA. Por la terei então mais 15 dias para rodar entre LA e SD. Meu voo de volta pro Brasil sai de LA dia 08/09. Então, ja comprei a passagem ha um tempo e como vou sozinha, optei ir direto e passar 5 noites em SF.… Ler Mais »

Leonardo Coutinho
Visitante
Leonardo Coutinho

Oi Gabriela,

De Carmel pra Lake Tahoe, são 4:41 h sem trânsito – 306 milhas.
De San Luis Obispo pra Lake Tahoe são 6:08 h – 416 milhas.

Como esse dia será dedicado ao deslocamento, na minha opinião tanto faz de onde vc irá sair (entre essas duas opções), 5 ou 6h “dá no mesmo” rs.

Mas a sugestão da Maryanne, de você ir de SF pra Lake Tahoe, é bem menos cansativa, são 204 milhas, 3:15 h de viagem. Você não perderia o dia se deslocando.

Abs!

Gabriela
Visitante
Gabriela

Oi Léo, se eu optar em ficar 02 noite s em Carmel, fazendo um bate-volta até Big Sur, qual rodovia eu pego de Carmel para Lake Tahoe ??? se eu optar em ir até S L Obispo, dormir por lá e sair no outro dia para Lake Tahoe, a viagem não ficaria mais longa ?

Leonardo Coutinho
Visitante
Leonardo Coutinho

Olá Gabriela, tudo bem? Achei seu roteiro bom (não conheço Reno, então sobre essa cidade não posso opinar, não sei o por que da sua escolha por lá, talvez o voo de volta de Lake Tahoe). – 4 dias em SF: ok (eu reservaria um dia pra sair cedo e ir a Salsalito e Napa Valley, dá pra fazer e são dois lugares bem legais). – O carro você pode alugar pela Mobility-online (veja o tel no Google), e faça a reserva por telefone, pq aí vc pode tirar o carro na Union Square em SF, se estiver hospedado por… Ler Mais »

Gabriela
Visitante
Gabriela

Olá, estou com passagens compradas para chegada em San Francisco e partida em Reno. Penso ficar 04 dias em SF, alugar um carro e ir pela higway 1 até Big Sur, depois subir para Lake Tahoe e Reno. Gostaria muito de sua opinião sobre meu roteiro:
SF – 04 DIAS
CARMEL- 01 DIA (na ida)
CARMEL- 01 DIA(NA VOLTA DE BIG SUR A CAMINHO DE LAKE TAHOE)
LAKE TAHOE – 03 DIAS
RENO – 02 DIAS
Qual melhor percurso a fazer de Big Sur até Lake Tahoe ? dar para fazer em um dia ou seria melhor pernoitar no caminho ?
Obrigada,

Leonardo Coutinho
Visitante
Leonardo Coutinho

Anete, concordo com a Mari, é a época mais concorrida. Você possivelmente deve conseguir motéis – que atendem bem, diga-se de passagem, para só dormir e no dia seguinte pegar estrada. Mas vc pode passar por aquele perrengue de parar em alguns até achar um que tenha vaga. Melhor reservar mesmo. Abs

ANETE
Visitante
ANETE

Léo, estou indo para São Francisco e volto para Los Angeles pela Highway 1, início de Julho, você acha que conseguimos hotel para uma parada em Cambria ou San Luis Obispo, sem fazer reserva antecipada?

Suelen
Visitante
Suelen

Agradeço pelas dicas do Blog!! Fiz SF a LA em 10 dias e foi corrido mais perfeito! Pena que junho tem tanta fog!:/ mas mesmo assim foi sensacional!!

Já não vejo a hora de voltar!!! O BLOG foi fantástico e me ajudou em tudo que precisei!! valeeeu e parabens pelo trabalho!

Leonardo Coutinho
Visitante
Leonardo Coutinho

Fala Raphael! Cara, a pata de caranguejo que eu falei é na Highway 01, entre San Francisco e Los Angeles – meio do caminho, não é caminho entre San Diego e Las Vegas. Em San Diego você pode pegar onda em Pacific Beach, Mission Beach, Birdrock, Windansea, Scripps e Black´s (essa última é a minha preferida, mais cavada, mas pra chegar tem que caminhar uns minutos, não para de carro na frente). Meu conselho é você ir dirigindo pelo litoral e onde achar que está bom pra você cair. Tanto San Diego quanto as cidades vizinhas (Del Mar, Solana Beach,… Ler Mais »

Raphael
Visitante
Raphael

Léo estou indo de Vegas a são Diego em setembro e quero surfar, tbm surfo de bodyboard e queria as dicas precisas dos picos pois nao terei mtu tempo
Uma coisa é fato irei comer a pata de caranguejo q fiquei com água na boca
Estou enferrujado no surf então uma boa dica seria algo mais suave
Vlw

Leonardo Coutinho
Visitante
Leonardo Coutinho

Viagem*

Leonardo Coutinho
Visitante
Leonardo Coutinho

Olá Suelen,
Tá bom sim. No caso você está priorizando gostos pessoais seus, nada demais, viajem é pra isso mesmo, encontrar amigos e ir pra shows de bandas que não encontraria no Brasil. Só se lembre que de Sacramento a Carmel serão 3 horas, a 3,5 h de carro, administre isso para aproveitar nem que seja um pouco de Carmel. Se não ser no dia que chegar, saia cedo pela 17 mile drive e de lá pro Big Sur, dá pra fazer. No dia que chegar pegue o por do sol em Pebble Beach.
Abs!